21.3 C
Osasco
24/06/2019
QG Notícias | Base segura de informação e conteúdo
Cidades Geral Home

Ano-Novo chinês é mais festejado que nosso Réveillon

O Réveillon tem a rotina de sempre marcando a tradicional passagem de ano. As pessoas comem e bebem em demonstração de felicidade; outras incluem ritos religiosos a cada fim de ano mas nada que represente uma cultura nacional.

Não é o caso do Ano-Novo chinês que segue o calendário lunar e uma tradição que vem de séculos antes de Cristo. A passagem oficial será na terça-feira agora, 5, mas as comemorações começam antes e vão além. A celebração é absolutamente cultural e envolve toda China e a comunidade mundo afora.

E São Paulo é uma cidade onde essa cultura é mesmo bem forte. Hoje, por exemplo, acontece a China na Vila, a partir das 17h no Butantã. Culinária, música, artesanato e artes marciais fazem a programação até as 20h e com destaque para a Associação Taboão da Serra de Kung fu Garra de Águia, da mestra Lily Lau.

Hoje também rola uma homenagem futurista no Center 3 na Avenida Paulista, ação do Instituto Brasil-China. A partir das 19h45 o cidadão assiste uma projeção mapeada na fachada do shopping, animações com símbolos e uma variedade de grafismos chineses – tem repeteco amanhã no mesmo horário.

E uma das atividades mais tchans do ano novo chinês fica para a Festa da Primavera na Liberdade, final da semana que vem. É um festival grandioso e que realmente sacode a comunidade chinesa e com uma multidão de amigos dessa cultura. De fato, o Festival da Primavera traz um pouco de tudo o que é a China às ruas da Liberdade. E no outro fim de semana, 16, os holofotes ficam para o Parque do Ibirapuera com o Festival das Lanternas.

Esse evento é regado a shows musicais com sons pops e também tradicionais. Entre várias atrações, destaque para a banda Penicillin que se apresenta pela primeira vez no Brasil mandando aquele pop-rock. O Festival das Lanternas começa às 10h em frente ao Planetário.

Na região, as comemorações clássicas são assinadas pelo Templo Zu Lai em Cotia. O ano novo chinês nesse cenário budista será dia 17 a partir das 10h. Mas o cidadão já sabe que ali a praça de alimentação é absolutamente vegetariana. Durante todo dia rolam oficinas recreativas com temática chinesa e shows, além de artes marciais. O evento tem como ponto principal a Cerimônia dos Mil Budas.

O que significa tudo isso?

FESTIVAL DA PRIMAVERA
– marca o início do ano novo chinês e é celebrado por duas semanas. Chineses do mundo todo unem-se nesse rito de passagem e que tem como maior representação a união familiar.

FESTA DAS LANTERNAS
– o Festival da Primavera tem duas semanas de celebrações e quando termina dá lugar à Festa das Lanternas. Trata-se de outra passagem mundialmente comemorada pela cultura. É um momento tão feliz para o chinês que a tradição manda um feriadaço de sete dias em Pequim – em Taiwan são cinco dias de festas, Macau e Hong Kong folgam por três dias.

ANO NOVO
– até agora o calendário chinês vem sob regência do Cão da Terra que está de saída para a chegada do Porco (ou Javali). Portanto, troca de animal na próxima terça-feira e que marca o ano 4.716 do calendário chinês. Cada ano tem um animal regente: Rato, Boi, Tigre, Coelho, Dragão, Serpente, Cavalo, Carneiro, Macaco, Galo, Cão e Porco.

RÉVEILLON
– é uma expressão francesa que vem de ‘acordar’ ou ‘reanimar’, ampliada para ‘o despertar de um novo ano’. Como também significa uma refeição noturna, foi logo associada à celebração natalina, mas a associação principal é com a passagem do ano.