LAVAJATO: Ministro alerta sobre disputa do MPF e Polícia Federal

Abril 18
20:45 2015

Ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) criticaram na última quinta-feira (16) a disputa de poder entre as cúpulas do Ministério Público Federal e da Polícia Federal sobre os rumos das investigações de políticos suspeitos de envolvimento no esquema de corrupção da Petrobras. Incomodado com movimentações da PF na Operação Lava Jato, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu e o ministro do STF Teori Zavascki determinou na quarta (15) a suspensão de depoimentos de sete inquéritos que seriam tomados nesta semana.

A decisão tem efeito sobre processos que estão relacionados a 40 investigados entre políticos e operadores do esquema, como os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto. Vaccari foi preso nesta quarta. Para o ministro Marco Aurélio Mello, o desentendimento entre as autoridades “não é coisa boa” para o andamento das investigações e tem potencial para atrasar os trabalhos. “A leitura que a sociedade faz não é boa, como se houvesse desentendimento mais profundo, entre os envolvidos no inquérito, a PF, o MP e também judiciário. O bom é que haja harmonia” disse.

Segundo o ministro, inquéritos contra políticos são capitaneados pelo STF. Ele afirmou ainda que “não pode haver tumulto” nos depoimentos de envolvidos, dos investigados e das testemunhas. Outro ministro ouvido sob a condição de anonimato disse que as desavenças entre o MP e a PF são antigas e, sem dúvida, terão como consequência o prolongamento das apurações.

 

Sobre o Autor

admin

admin

CONTAGEM PARA 2018