SP nomeia 392 novos policiais civis

junho 12
00:24 2015

Os 239 agentes policiais e 153 escrivães farão curso de formação na Academia de Polícia Civil; Alckmin visitou laboratório de arte forense do DHPP

 

Novos policiais civis foram nomeados nesta quinta-feira, 11, pelo governador Geraldo Alckmin durante visita ao Conselho da Polícia Civil. Ao todo, 239 agentes policiais e 153 escrivães foram nomeados. “Uma alegria vir aqui participar da reunião do Conselho da Polícia Civil e assinar a nomeação dos novos policiais”, declarou o governador.   Os profissionais são remanescentes de concursos prestados em 2012 e serão contratados em função de vagas autorizadas no ano seguinte pelo programa “SP Contra o Crime”, um conjunto de ações estratégicas na área da segurança, que visa reforçar o efetivo das polícias e reduzir o crime. Os futuros agentes e investigadores tomarão posse dentro de 15 dias e passarão por três meses de curso de formação na Acadepol (Academia de Polícia). Ao longo dos estudos, terão disciplinas de Criminalística, Direitos Humanos, Técnicas de Abordagem, entre outras. Ao final do curso, os policiais realizam um estágio supervisionado de 15 dias já em unidades policiais e, depois, se formam.

 

Laboratório de Arte Forense

O governador também visitou o laboratório de arte forense do Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), no qual são produzidos retratos de desaparecidos e vítimas. Pioneiro na América Latina, o espaço alia tecnologia de ponta, habilidades artísticas e conhecimentos avançados em computação gráfica para ajudar a solucionar crimes e a encontrar crianças e adolescentes desaparecidos. “É um trabalho muito bem feito e de vanguarda. Importante para identificar pessoas desaparecidas, elucidar crimes, prender criminosos. Muitas vezes, esse trabalho é feito baseando-se em fragmentos de fotografias. E com o retrato falado é possível identificar um criminoso foragido ou pessoas desaparecidas”, disse Alckmin.

Inaugurado em janeiro de 2014, o laboratório recebeu investimento de R$ 188.953,34 na aquisição dos equipamentos e adequação das instalações. Os profissionais produzem retratos falados e simulam a progressão da idade de pessoas desaparecidas. Desde a inauguração, foram realizadas 25 progressões de idade de crianças desaparecidas há mais de cinco anos (uma encontrada), duas reconstituições faciais em crânios de cadáveres (um identificado ) e 25 retratos falados (quatro pessoas identificadas e presas).

 

Do Portal do Governo do Estado 

Sobre o Autor

admin

admin

CONTAGEM PARA 2018