Prefeito de Cajamar será escolhido pelos vereadores; eleição de 2012 praticamente está anulada

setembro 23
01:33 2015

Em Cajamar, na região metropolitana de São Paulo, a sexta troca de prefeito foi registrada este mês. Tudo começou em janeiro de 2014 com a cassação por abuso de poder econômico na eleição de 2012 do então prefeito Daniel Fonseca (PSDB). Pelo mesmo motivo, o Tribunal Regional Eleitoral cassou a segunda colocada, Ana Paula Ribas (PT). Desde então, a Justiça marcou duas vezes nova eleição na cidade, mas elas acabaram suspensas por causa da briga judicial envolvendo os dois políticos. A lei manda que um pleito fora de época seja feito sempre que o cassado tiver obtido mais de 50% dos votos válidos.

Enquanto a situação não se resolve, o mais novo prefeito-tampão é Israel Brandão (PSD), o quarto presidente da Câmara a assumir o posto. Desde que a crise política se instalou, os moradores tiveram uma mudança de prefeito, em média, a cada três meses. As consequências disso são visíveis em alguns bairros e chegaram às redes sociais, onde moradores expõem obras paradas de escolas, creches e postos de saúde. O GLOBO procurou a gestão para falar sobre o impacto da crise, mas o prefeito disse que estava há muito pouco tempo no cargo.

Agora a justiça de Cajamar decidiu na tarde desta terça-feira (22) que Israel Maceno Brandão (PSD) não poderá permanecer como prefeito interino (ao menos que seja escolhido em votação) e decretou que a câmara de vereadores da cidade realize uma votação para a escolha de um novo prefeito interino.

Os vereadores irão escolher entre si quem assumirá novamente o cargo de prefeito interino até decisão do TSE em Brasília.

Oficie-se com urgência à Câmara Municipal determinando que realize eleições, pelo Plenário, para escolha do novo Prefeito Interino. Tal escolha, evidentemente, não poderá recair sobre a pessoa de Geraldo Aparecido Lacerda Ferreira. Deverá a Câmara informar ao Juízo, no prazo de 72 horas, sobre a adoção das providências necessárias ao cumprimento desta determinação. Até a realização de referida eleição, deverá continuar a exercer o cargo de Prefeito Interino o Sr. Israel Maceno Brandão, que estava à frente da Presidência da Câmara Municipal quando do afastamento de Geraldo Aparecido Lacerda Ferreira. Cumpra-se com urgência. Comunique-se ao Egrégio Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. Ciência ao Ministério Público”.

Ou seja. Em três dias a câmara de vereadores da cidade deve providenciar uma nova eleição indireta para o cargo de prefeito interino.

Sobre o Autor

admin

admin

CONTAGEM PARA 2018