OSASCO: Marido de fisiculturista assassinada é preso após 3 anos

novembro 30
20:03 2015

assassino3

Quase três anos após a morte da fisiculturista paulista Fabiana Caggiano, de 36 anos, o marido dela, Alexandre Furtado Paes, de 41 anos, foi preso nesta segunda-feira (30), em Ibiúna, na Grande São Paulo. Ele estava foragido desde janeiro de 2013 e foi preso por policiais do Deic (Departamento Estadual de investigações Criminais). Alexandre Furtado Paes era procurado pelo Justiça do Rio Grande do Norte, onde aconteceu o assassinato. A atleta morreu dia 2 de janeiro de 2013, após ficar cinco dias internada. Ela foi estrangulada pelo marido, de acordo com as investigações.

Alexandre é acusado por homicídio qualificado (motivo torpe, meio cruel e impossibilidade de a vítima se defender) e também responde ao agravante de ter modificado a cena do crime. Na época da morte, a defesa de Alexandre informou que ele negou o crime e alegou que a mulher teve um mal súbito durante o banho. Porém, exames periciais realizados no corpo da atleta indicaram que ela foi morta por asfixia mecânica (estrangulamento).

Réu

O empresário Alexandre Furtado Paes, que possui uma academia de musculação na cidade de Osasco, e residia em Osasco no Conjunto dos Metalurgicos, tornou-se réu no processo no início de março de 2013, quando o juiz Ricardo Procópio, titular da 3ª Vara Criminal de Natal, acatou denúncia do Ministério Público. O viúvo teve a prisão temporária decretada em 25 de janeiro de 2013, e desde então era considerado foragido.

Relembre o caso

assassino

Segundo a versão de Alexandre Paes, na manhã de 28 de dezembro de 2013, a mulher estava tomando banho quando ela teria sofrido uma queda repentina.O Samu foi acionado e já encontrou a paulista desacordada. No dia 2 de janeiro, no entanto, a fisiculturista morreu na UTI de um hospital particular de Natal. Familiares disseram que ela, enquanto esteve internada, permaneceu o tempo todo em coma induzido.

Em razão da suposta queda, o corpo de Fabiana foi removido para necropsia no Instituto Técnico-Científico de Polícia do RN. Laudos preliminares revelaram que a vítima havia sofrido asfixia mecânica, com características de estrangulamento.

No dia 23 de janeiro, após a conclusão dos laudos realizados pelo Itep, o delegado Frank Albuquerque confirmou que a fisioculturista fora assassinada. “As suspeitas foram confirmadas. Exames toxicológicos deram negativos. No entanto, os laudos complementares realmente apontam que Fabiana foi vítima de asfixia mecânica (estrangulamento)”, afirmou . (Com conteúdo Globo)

fabiana

Sobre o Autor

admin

admin