Disputa interna pode forçar prefeito Jorge Lapas dar adeus ao PT

junho 14
02:19 2015

Há muito tempo se comenta, entre formadores de opinião, que algo não vai bem. Claro que referem-se  sobre o  PT de Osasco por estar dividido entre duas correntes. A situação é assim:  uma ala dá apoio  ao atual prefeito Jorge Lapas, que já declarou sair candidato em 2016. Essa corrente tem à frente o ex-prefeito e atual presidente do PT estadual, Emídio de Souza, que garantiu apoio ao seu sucessor e não abre mão disso. Já do outro lado, está o ex-deputado federal João Paulo Cunha afastado da cidade, morando em Brasília, mas que dá as cartas no PT osasquense. Recentemente em entrevista, quando do lançamento de seu livro denominado “Quatro” à imprensa local, realizado em um restaurante no centro da cidade, João Paulo alfinetou que para as eleições de 2016, em Osasco  o PT deverá escolher seu candidato através de prévias internas. Foi o que bastou para acender a luz vermelha sinalizando e oficializando uma crise que vem tomando  proporções inevitáveis.

A  declaração de João Paulo  não agradou o time de Lapas e Emídio, e os sintomas dessa disputa vêm rendendo muitas conversas de bastidores. Tudo bem que Emídio tentará contornar a situação até onde ele puder, mas, sob pressão não restará ao prefeito Jorge Lapas outra saída a não ser trocar de partido, pois ele sabe muito bem a força do ex-deputado dentro da sigla em Osasco. Ele tem até o dia 1 de outubro (um ano antes do pleito) para resolver essa questão e até lá pode levar tudo em “banho maria”. Ventos soprados estão avisando que já existem convites partidários para o engenheiro Lapas, e são siglas que prometem todo o comando a ele na cidade e entre elas está um grande partido aliado do governo Dilma Rousseff. A certeza é que,  mesmo sem acordo,  Lapas sairá candidato, com ou sem apoio de sua sigla, e podem esperar que  a mudança de partido, a cada dia, ganhará mais força. (NILSON MARTINS)

Sobre o Autor

admin

admin

CONTAGEM PARA 2018