Xô, zica!

 Extra!
dezembro 12
15:17 2015

A zica que incomodou a semana do Vôlei Nestlé foi expulsa ontem, 9ª rodada da Superliga. Vindo de duas derrotas seguidas, o time entraria em crise se perdesse outra. No entanto, com atuação espetacular da oposta belga Lise Van Hecke no set final, o Vôlei Nestlé mandou aquele chocolate para cima do Sesi – e na casa do adversário, 3 a 1 com 23 a 25, 25 a 13, 25 a 17 e 25 a 22. Isso mesmo, foi de virada, já que o Sesi iniciou mordendo. “Fizemos um bom primeiro set. Depois o time delas veio com algumas mudanças, conseguiu equilibrar e parou de errar”, lamentou Talmo de Oliveira, técnico do Sesi.

Ao apontar o crescimento da equipe de sainha a partir da segunda parcial, obviamente que o treinador da Vila Leopoldina fala do saque e do bloqueio da rede osasquense – especialmente no último set. E nesse quesito, a belga se destacou com tudo e foi a melhor do clássico e também a maior nos acertos com 19 pontos. “No segundo e no terceiro sets jogamos muito bem. Na quarta parcial conseguimos uma grande reação. Estou gostando muito dessa temporada. No Brasil se treina muito e isso está sendo positivo para o meu jogo”, comentou a oposta.

No entanto, o Sesi deu aquele susto ao tomar conta do 1º set, mesmo com Osasco fechando o primeiro tempo técnico com 8 a 7. Comandado pela estrela Jaqueline, o time da casa reagiu até virar o marcador. Mas a equipe visitante também reagiu para empatar e voltar a ficar na frente até abrir 20 a 16. Com algumas mexidas, o técnico Talmo de Oliveira conseguiu mudar o jogo a favor do Sesi, que empatou, tomou a dianteira para carimbar a primeira parcial por 25 a 23.

Teste de fogo para as meninas de Osasco que vinham de duas derrotas seguidas, e que sabiam que mais um placar negativo poderia instalar uma crise nunca imaginada. No entanto, nos primeiros lances do 2º set o Vôlei Nestlé fazia 7 a 1. As meninas ganhavam moral e confiança para manter o rítmo, e a levantadora Dani Lins fazia a diferença com bolas muito bem servidas. Assim, Osasco não teve dificuldades para empatar o clássico com 25 a 13.

Era o que o técnico Luizomar de Moura apostava. O 3º set foi equilibrado no início, mas a partir da segunda parada técnica Osasco foi ampliando a diferença para matar a parada de boa, 25 a 17. No 4º set o Sesi endureceu mais e valorizou a posse de bola. Após a segunda parada técnica, por exemplo, estava dando Sesi por 16 a 12. No entanto, foi a partir daí que as jogadas individuais de Osasco mudaram o panorama para reação espetacular até fechar o jogo por 25 a 22.

O técnico Talmo de Oliveira atuou com Pri Heldes, Andréia, Jaqueline, Ellen, Fabiana, Angélica e Suellen, mais Dayse, Bia, Carol e Sabrina. Já o aliviado Luizomar de Moura venceu com Dani Lins, Van Hecke, Carcaces, Gabi, Thaisa, Adenízia e Camila Brait, mais Diana, Ivna e Suelle.

“Passamos por um momento complicado nas últimas duas rodadas, mas reagimos e estou bastante contente por ter podido ajudar a pontuar nos momentos decisivos do quarto set”, continuou a falante belga Lise. Nos lances finais do set ela comandou a reação cravando quatro dos cinco pontos para fechar a conta na Vila Leopoldina.

“Jogo difícil e taticamente interessante”, ponderou Luizomar de Moura. “O time vinha de resultados ruins, mas não deixamos de acreditar. Trabalhamos muito e as meninas sabem do potencial e de onde queremos chegar. A grande lição da semana é que dificuldades aparecem e elas existem para serem superadas e para nosso crescimento.”

Passando o fim de semana sem o peso das duas derrotas sofridas na semana, o Vôlei Nestlé retoma os trabalhos porque na terça-feira (15) volta a jogar, mas dessa vez contra um adversário que não oferece perigo algum, o novato Valinhos – é a penúltima rodada do turno da 1ª fase, pois no fechamento tem o duelo sempre mais esperado, Osasco x Rio de Janeiro, dia 18. (Márcio Silvio)

Sobre o Autor

admin

admin