QG Notícias

TJD fecha o caixão do Cotia na A3 e diz não ao Audax

 Extra!
maio 26
17:18 2015

A semana começou com julgamentos no Tribunal de Justiça Desportiva da Federação Paulista de Futebol. A sessão de ontem foi aberta com a queixa do Osasco Audax, reivindicando revisão na classificação final do Paulistão. A diretoria apelava por mandato de garantia que não foi concedido – o processo do Audax foi rejeitado por unanimidade.

O clube pedia revisão da classificação para, com isso, ter acesso legal à série D do Campeonato Brasileiro. O time não passou da 1ª fase do Paulistão, ficando em 3º lugar no grupo B com 22 pontos, cinco a menos que a Ponte Preta, 2ª colocada. Nesse grupo o Corinthians fechou em 1º lugar com 37 pontos.

A série D começa em julho, e o Audax chegou enviar pedido de convite à Federação Paulista, assim que terminou a temporada. No ofício protocolado na FPF, a diretoria solicitava que a entidade indicasse o Audax à CBF, como convidado paulista para a série D. Naturalmente que a federação descartou.

Mas em termos jurídicos os dirigentes não jogaram a toalha por isso, levando as esperanças até ontem, quando o TJD finalmente julgaria o caso. E deu no que deu, nenhum votinho a favor do Audax. Portanto, o sonho de entrar na série D fica para 2016.

Mas quem se deu muito pior na sessão de ontem foi o Cotia FC. Depois de uma temporada vexatória por falta de estrutura municipal e de planejamento profissional, agora a diretoria ouve a sentença do TJD quanto a série A3 do Campeonato Paulista.

A Comissão Disciplinar manteve a exclusão decretada ainda durante a competição. Lembrando que dentro das quatro linhas o time fez o que pôde, mas com os jogadores sem salário por meses, além de a prefeitura não ter dado conta da reforma do estádio municipal.

E com o campo interditado, Cotia transformou-se num itinerante mandando jogos em redutos emprestados. Sem salário, sem casa e sem apoio logístico, foi um vexame só na A3. Com a exclusão, o futuro está à deriva, e já se ouve que o clube vai mesmo fechar as portas. (Márcio Silvio)

 

Estádio Euclides de Almeida iniciou o ano já interditado pela FPF, a prefeitura não deu conta das exigências e a crise do Cotia começou aí.

Estádio Euclides de Almeida iniciou o ano já interditado pela FPF, a prefeitura não deu conta das exigências e a crise do Cotia começou aí.

Sobre o Autor

admin

admin