Termina no Geodésico: Osasco não segura a máquina Mogi

 Extra!
Termina no Geodésico: Osasco não segura a máquina Mogi
agosto 10
21:40 2017

Fim de cesta no Geodésico da Cidade das Flores, 2ª rodada do estadual. O Basquete Osasco foi valente no 1º quarto, encarou de igual para igual, mas o Mogi mostra que não é o atual campeão paulista sem motivo. Começou jogando errado mas não demora para se ajustar, virar o placar e tomar conta. Depois de estreia negativa em Sorocaba o Basquete Osasco contava com a vitória em casa, ainda que sabendo que teria pela frente uma parada duríssima.

De fato. Como já foi dito, a Coruja inicia forte e chegando a ficar na frente do placar por vários lances. Mas logo o campeão começa a trabalhar mais as jogadas, vai impondo velocidade e ajustando o passe até tomar a dianteira. Mas estava no mano a mano, tanto que a menos de 1 minuto para o final do 1º período o Mogi vencia por 25 a 24 apenas. Então acontece virada empolgante da Coruja, 26 a 25 e a 20 segundos, segurando o resultado até o final da parcial.

Destaque para Thyago Aleo com 8 pontos, assim como Igor Avelino. Os dois destruíram o sistema tático do Mogi que teve Victhor da Silva como cesta da parcial, 6 pontos para ele.

No 2º quarto o Mogi vai na pressão e emplaca sete pontos em menos de três minutos. A Coruja mostra-se desorientada e sem saber o que fazer, enquanto o campeão vai massacrando e faz 10 a 0. E quando Mogi faz o décimo ponto, tem reação osasquense com William Drudi marcando os primeiros dois pontos para a Coruja, já aos 5 minutos. Mas o adversário é forte mesmo e logo faz 15 a 3, assim que Thyago Aleo cravava o terceiro pontinho da casa.

Situação difícil mesmo para Osasco, pois faltando 5 minutos para o final da parcial o Mogi deslancha com 18 a 6. E não teve jeito mesmo, esse quarto o time de Mogi leva com uma mão às costas – o americano Stallworth foi o destaque. Fechado o 2º quarto por 30 a 19 o campeão Mogi vai para o intervalo mandando no Geodésico, 55 a 45, placar do 1º tempo.

Thyago Aleo tem sido o principal nome do time até agora com 11 pontos, 1 rebote e 3 assistências; atrás vem Leonardo Willians com 8 pontos e 1 assistência. Quanto ao Mogi, o americano Stallworth arrasando com 12 pontos, 2 rebotes e 3 assistências, seguido por Caio Torres com 9 pontos, 2 rebotes e 1 assistência. Estes são os principais números do 1º tempo no Geodésico.

Batendo 20h30 no ginásio as equipes se posicionam e a bola volta a ser trabalhada, começo do 2º tempo. É o 3º quarto e com o Mogi disposto a manter a baba e logo faz 4 a 0.

Primeiros lances da etapa final e a Coruja segue groguinha da silva. Mas antes que alguém entorte o nariz para a equipe de Osasco, vale destacar que é confronto entre um time que surge do nada e que faz a terceira temporada no estadual, pegando uma equipe da elite nacional. O Mogi é um timaço e está com tudo para chegar à final do Paulista.

Opa, finalmente a Coruja reage e Thyago Aleo desconta, 2 a 5. Só que ninguém segura o Mogi, que deslancha novamente assim que Igor Avelino faz o quarto ponto para Osasco e Leonardo, o sétimo – olha aí o placar da parcial passados 5 minutos, Mogi 13 a 7.

Mas Osasco está acreditando mais, ao contrário do que foi visto no final do 1º tempo. Já não está tão grogue assim, tanto que Igor Avelino aparece para descontar melhor, 9 a 13. A triangulação do Mogi é muito eficiente e Osasco leva toda desvantagem na marcação. Vithor amplia para 17 a 9 e o campeão ensaia engatar a quinta marcha. O técnico Vecchi gesticula, grita, orienta, faz o impossível. E a moçada até que responde bem, só que o adversário bate mesmo um bolão.

Faltando 1min30 para o final do penúltimo período, eis o Mogi administrando a vantagem no Geodésico, 22 a 17. Os rapazes de Osasco se esforçam mas não conseguem anular a eficiência do Mogi, que vai de boa até matar o período por 23 a 19.

Com esse período a artilharia do jogo está para o corujinha Igor Avelino com 13 pontos, empatando com Rafael da Silva, também 13 pontos para o Mogi, que começa o 4º período já metendo 5 a 0 no primeiro minuto, mãos de Stallworth que assume a cestinha com 15 pontos.

A parcial é praticamente replay das anteriores com Osasco correndo atrás e com o Mogi toureando e só administrando. Sentindo que a parada já estava resolvida o campeão paulista puxa um pouco o freio e vai na maciota.

Aos 5 minutos do período o placar mostra Mogi 8 a 2, mas Igor Avelino, grande nome da Coruja, desconta para 4 a 8, o 15º ponto dele. Acontece que Osasco não consegue manter a pegada e o adversário imediatamente dá o troco. Assim fica mesmo difícil.

Apesar do sufoco, olha aí o Thyago Aleo comprando a bronca para 7 a 10. Mogi não dá chance e abre 14 a 9. E ficou nessa, chance zero para reação osasquense e a Coruja toma nocaute no Geodésico com o Mogi fechando a parcial com 22 a 16. Somando os números, 80 a 100.

Igor Avelino foi o cara de Osasco com 15 pontos, empatando com os feras do Mogi Stallworth e Rafael da Silva, ambos também com 15 pontos. É isso aí, torcedor!

O 1º TEMPO
1º período: Osasco 26 x 25 Mogi
2º período: Osasco 19 x 30 Mogi
– placar do 1º tempo: Basquete Osasco 45 x 55 Mogi

O 2º TEMPO
3º período: Osasco 19 x 23 Mogi
4º período: Osasco  16 x 22 Mogi
– placar final do jogo: Basquete Osasco 80 x 100 Mogi

 

 

Compartilhar

Sobre o Autor

Marcio Silvio

Marcio Silvio