Temos que construir novamente o time, afirma técnico Luizomar

 Extra!
novembro 11
13:42 2015

Naturalmente que a festa da torcida não foi pouca no Liberatão de Presidente Altino, aplaudindo a estreia vitoriosa do Vôlei Nestlé sobre o catarinense Rio do Sul, 3 a 1, jogo de ontem e antecipado da 3ª rodada da Superliga. Além da vitória, festa pelo retorno da central Thaísa após cinco meses de fisioterapia por conta de cirurgia nos dois joelhos.

Alegria dentro de quadra e nas arquibancadas do Liberatão, mas alguém lançava um olhar mais agudo sobre tudo isso. O técnico Luizomar de Moura parabenizou a equipe pela vitória, também falou do retorno da capitã Thaísa, mas não deixou escapar a preocupação tática para a sequência da Superliga Feminina.

O treinador destacou que trata-se de um campeonato longo e que o planejamento é de crescimento rodada após rodada. Luizomar justifica: “Sentimos as mudanças, pois estávamos com uma equipe bem organizada taticamente no Paulista e essa transição para a Superliga sempre preocupa a comissão técnica”. Ele apontou que a primeira coisa é a adaptação rápida à bola do nacional, diferente daquela usada no Campeonato Paulista.

No entanto, o treinador foi mais longe nessa questão das mudanças, declarando que precisa refazer a tática osasquense na competição. “É importante se preparar pensando em um campeonato longo. Vencemos, mas sabemos que temos que construir novamente o time.”

A preocupação de Luizomar de Moura não é sem motivo, pois todo planejamento do Vôlei Nestlé está para a conquista do título. Na próxima sexta-feira a equipe de Osasco joga em Bauru pela 1ª rodada, partida contra uma equipe que estreia na Superliga, e nessa partida o treinador não quer nenhum set perdido.

Ontem contra o Rio do Sul, depois de um 1º set forte com 26 a 15, no 2º set Osasco relaxou e viu o adversário crescer na rede para empatar o jogo com 25 a 22. O técnico Luizomar não gostou nada desse set perdido, mesmo que na 3ª parcial a equipe tenha se reabilitado com 25 a 15. No entanto, no 4º set o Rio do Sul valorizou a bola e dificultou bem as coisas, 25 a 21 para Osasco.

A levantadora Dani Lins foi eleita a melhor do jogo, e a ponteira Gabi foi a dona dos pontos com 19 acertos. Quanto à capitã Thaísa, só comemorações: “Estava apreensiva e ansiosa. Parecia até meu primeiro jogo, quando tinha 16 anos e estreei na Superliga”, comentou. “Normalmente as meninas pedem minha ajuda, mas dessa vez fui eu que pedi ajuda.”

Thaísa lembrou que está bem abaixo da capacidade física e técnica. “Tenho que ter paciência porque a volta ao meu melhor nível será natural. Há uns quatro meses tive que reaprender a andar e hoje entrei em quadra na superação e fui razoavelmente bem”, completou a xerifona, que marcou 9 pontos ontem.

Fora de quadra, a central Adenízia só acompanhou o desempenho das colegas. Ela lesionou o pé esquerdo nos treinos e está em reabilitação. O técnico Luizomar de Moura não falou nada sobre a jogadora – se ela estará apta para sexta-feira em Bauru.

A belga Lise Van Hecke (foto acima) fez uma bela partida com 16 pontos, a segunda maior pontuadora. Além da belga, de Thaísa, Gabi e Dani Lins, o técnico Luizomar de Moura jogou com Saraelen, Suelle e Camila Brait, mais Diana, Ivna e Marjorie.

No Rio do Sul, do técnico Spencer Lee,  a maior pontuadora foi Helô com 15 acertos, que jogou com Luciana, Duda, Ju Nogueira, Isa, Mimi Sosa, Fran e Tati, mais Giovana e Paracatu. Mas quem pensa que as catarinenses ficaram bicudas por causa da derrota, nada disso.

O time foi para o jogo sabendo do favoritismo do Vôlei Nestlé, e comemorou o crescimento nos dois últimos sets. “Tivemos coragem e ambição, mesmo diante de um adversário mais forte”, observou Spencer Lee. “Nós vamos adquirir nossa melhor forma ao longo dos jogos e este primeiro desafio nos deixou satisfeitos – não pela derrota, mas pela postura dentro de quadra.” (Márcio Silvio)

 

FOTOS, João Pires

Luizomar destaca que adaptações começam com a bola da Superliga que é diferente da usada no Paulista.

Luizomar: mudanças começam com a bola que é diferente da usada no Paulista.

Ponteira Gabi na defesa, mas foi o melhor ataque com 16 pontos.

Ponteira Gabi na defesa, mas foi o melhor ataque com 19 pontos.

Sobre o Autor

admin

admin