Jogo mais duro para as meninas de Osasco até agora

 Extra!
novembro 29
20:28 2015

Quase 3 horas de bola voando no Sesi de Taguatinga, em Brasília, 5ª rodada da Superliga Feminina e com o favorito Vôlei Nestlé tendo aquela dificuldade diante da equipe da casa. O Brasília da estrela Paula Pequeno valorizou cada lance e a partida só foi definida no tie-break, 3 a 2 para Osasco, líder invicto do nacional.

O 1º set já foi além da conta, quase 40 minutos de duelo para Osasco fazer 32 a 20. Foi no mano a mano e com Osasco iniciando inseguro, mas logo a equipe de sainha entrou no jogo e o bicho pegou. No 1º tempo técnico dava Brasília 8 a 7, e no 2º tempo técnico a equipe candanga seguia na frente com 16 a 15.

No mais, o time de Paula Pequeno teve o set nas mãos em quatro momentos, mas não sou soube aproveitar as oportunidades. E como vacilar diante de um timaço como Osasco custa caro, então o bloco Thaísa, Ivna, Gabi e Carcaces assumiu a reação osasquense para empatar e virar o marcador.

O 2º set foi menos tenso porque os serviços da levantadora Dani Lins sustentaram o ataque forte do Vôlei Nestlé, 24 a 20 nessa parcial. No entanto, quem apostava num 3º set maneiro viu o Brasília ressurgir das cinzas. Osasco iniciou forçando geral e abrindo vantagem, chegando a 21 a 17.

Mas dessa vez foi Osasco que vacilou ao desperdiçar cinco match points. Brasília endureceu a parada, buscou o empate e virou o placar na raça, 28 a 26. No 4º set, então, pressão total do time da casa em busca da vitória para quebrar a invencibilidade das paulistas.

Mais uma parcial equilibrada e como o Vôlei Nestlé chegando primeiro à boca de fechar o set, mas novamente perdendo dois match points. Osasco chegou nos 24 a 23 e depois nos 25 a 24, mas não conseguiu cravar a bola para matar o jogo. Brasília se defendeu bem para empatar e outra vez virar o placar e empatar o duelo, 28 a 26,.

O tie-break não poderia ser diferente, bem acirrado e com vantagem mínima de Osasco no primeiro tempo técnico, 8 a 7. Foi no ponto a ponto, mas nessa decisiva a belga Lisa Van Hecke fez a diferença com três pontos que garantiram fôlego com 13 a 12. Então tem bloqueio da central Adenízia, que retornava após lesão no pé esquerdo, levando Osasco a 14 a 12.

Brasília reage com o 13º ponto, mas então aparece o braço forte da central Adenízia para aquele pontinho da hora, carimbando a vitória suada do time de Osasco em Brasília, 15 a 13.

Na 6ª rodada a equipe continua jogando fora de casa, mas em São Paulo contra Pinheiros, próxima 3ª feira às 19h30. Ontem em Brasília, o técnico Luizomar de Moura contou com Dani Lins, Carcaces, Thaísa, Saraelen, Gabi, Ivna e Camila Brait; mais Diana, Suelle, Lise Van Hecke e Adenízia.

A belga jogou muito no 4º set e recebeu o prêmio de melhor da partida, enquanto a central Thaísa arrebentou como maior pontuadora, 25 acertos. “Estou muito contente por ter ajudado a equipe a conquistar essa importante vitória”, disse a belga.

O técnico Luizomar anotou os vacilos da equipe, mas disse que achou bom ver a atuação das meninas em cinco sets. O treinador elogiou a performance da capitã Thaísa jogando todas as parciais, e também destacou a boa entrada da central Adenízia a partir do 4º set, assim como da belga Lisa. (Márcio Silvio)

29. Brasília 6 29. Brasília 5 29. Brasília 3 29. Brasília 2 29. Brasília 1 29. Brasília 7 29. Osasco 3 x 2 Brasília 1

Sobre o Autor

admin

admin