Incentivo Fiscal Municipal deve multiplicar força esportiva de Osasco

 Extra!
outubro 06
16:30 2015

Osasco já tem programas vinculados a projetos federais, mas são investimentos que não chegam a todas modalidades da Secretaria de Esportes. Para ter uma cobertura ampla do quadro esportivo, a secretaria espera chegada de um projeto da própria prefeitura – a Lei de Incentivo Fiscal Municipal.

Essa ferramenta pode fazer toda diferença para a cidade em termos de competitividade e de logística esportiva. Com uma lei doméstica, a Secretaria de Esportes terá condições de batalhar investimentos locais definidos e seguros – com empresas entrando de cabeça nas modalidades (e nas escolinhas de formação), uma vez que contam com amparo legal para doações.

Mas não apenas o programa esportivo de Osasco pode se beneficiar com a aprovação da Lei de Incentivo Fiscal Municipal. Áreas da cultura, da pesquisa científica, instituições de ensino e artistas também podem completar o destino final dos recursos empresariais – há possibilidades de investimentos a pessoas físicas até (atletas, projetos culturais e artísticos, mais audiovisuais).

Especificamente na área esportiva, a empresa que investir nas modalidades terão abatimento de 100 por cento do valor incentivado até o limite de 1% do Imposto de Renda pela Pessoa Jurídica, e até 6 por cento pela Pessoa Física. Há informações que o prefeito Jorge Lapas já está com esse projeto definido e à espera de assinatura. Caso isso saia da gaveta até o final do ano, então a temporada 2016 da Secretaria de Esportes deverá ter o poder competitivo multiplicado porque poderá não apenas fortalecer as equipes já em andamento, como reforçar o quadro de atletas de alto nível.

O termômetro das cidades são medidos, especificamente, em duas competições clássicas – os Jogos Regionais e os Jogos Abertos do Interior. Nas últimas edições, Osasco vem galgando degraus nas respectivas classificações.

Nos Regionais de São Bernardo, por exemplo, terminou em terceiro lugar. Agora está indo para os Jogos Abertos, possivelmente em São Bernardo (porque Ribeirão Preto desistiu), e vai com a maior delegação já montada – e tudo isso sem Lei de Incentivo Fiscal. Para a temporada do ano que vem e contando com esse amparo municipal de incentivo, Osasco deve multiplicar a força esportiva e fechar 2016 brigando pela liderança do ranking esportivo do Estado. (Márcio Silvio)

Sobre o Autor

admin

admin