Grêmio Osasco sai da Copa Paulista e surge convite de Barueri

 Extra!
Maio 15
01:32 2015

A decisão será tomada amanhã pela diretoria, mas o que está valendo é que o Grêmio Osasco não disputa a Copa Paulista. O problema é de logística, segundo explicou Nei Teixeira, diretor do Grêmio Osasco Audax.

E quem está levando o GEO ao sacrifício é justamente o reduto do clube, o estádio do Rochdale. “Vamos ter jogos pela série B do Campeonato Brasileiro, e agora fiquei sabendo que serão dois jogos por semana. Com mais a Copa Paulista, o gramado do estádio pode não suportar”, disse Nei Teixeira, lembrando que ainda há o Campeonato Paulista Feminino ali.

No entanto, o que a diretoria já decidiu é que tocar Osasco Audax e Grêmio Osasco na Copa Paulista está fora de cogitação. A alternativa seria manter o Grêmio Osasco, mas sob o escudo do Audax, ou seja: entra o Audax na Copa Paulista, mas com todo elenco do Grêmio Osasco, incluindo comissão técnica. “Entendemos que é uma forma de premiar o time pela brilhante campanha na série A3 do Campeonato Paulista”, observou Nei Teixeira.

Ele explicou que os jogadores do Audax já curtem férias, mas alguns estariam disponíveis para a competição. Por outro lado, o elenco do Grêmio Osasco está enxuto na parada, e seria bem mais cômodo mantê-lo em ação após a série A3. “Estamos pensando se é viável dois times, ou se é melhor entrarmos com um time só, mas muito bem reforçado”, continuou o diretor.

“Tudo vai depender da reunião de amanhã”, destacou Nei Teixeira. “A situação do momento é essa: o Grêmio Osasco não disputa a Copa Paulista, entra o Grêmio Osasco Audax, só que estamos vendo a possibilidade de usar todos jogadores do Grêmio Osasco no Audax.”

GRÊMIO BARUERI
Alberto Ferrari é o presidente do Grêmio Barueri, clube que tem muitas dívidas trabalhistas, problemas que se avolumam ao passo em que se aproxima a Copa Paulista. Ele quer ver o Grêmio Barueri em ação, mas do jeito que está as chances não são boas. Então entrou em contato com o Osasco Audax e colocou a Abelha à disposição.

O objetivo seria para o time osasquense ir completinho da silva para Barueri e disputar a Copa Paulista por lá, usando a imponente Arena. Para Nei Teixeira, esse é um plano B e que serviria para descongestionar o estádio do Rochdale. “Poderíamos até jogar com o Grêmio Osasco Audax em Barueri”, especulou.

Por outro lado, há uma questão regulamentar que a diretoria osasquense ainda não se aprofundou – dois times e um único dono. Segundo Nei Teixeira, pode haver alguma restrição quanto a isso – Grêmio Osasco Audax e Grêmio Osasco disputando a mesma competição. Caso isso pegue de fato, então só irá sacramentar a decisão que está valendo no momento: sai o Grêmio Osasco, entra o Audax.

Quanto ao Grêmio Barueri, nada conversado ainda, segundo o diretor Nei Teixeira. “Mas é uma situação e vamos estudá-la”. E sobre a negociação com a vinda do Oeste de Itápolis, o dirigente garantiu que as cifras não chegam aos R$900 mil. “Vamos ter custos com os atletas que passam a morar na cidade, vamos ter custos com viagens e toda logística. Claro que são grandes investimentos, mas não daquele tamanho.” (Márcio Silvio)

Hoje na prefeitura: Nei Teixeira dirigente do Osasco Audax, à esquerda de Yamada, diretor do Grêmio Osasco, na apresentação do Oeste.

Hoje na prefeitura: Nei Teixeira, dirigente do Osasco Audax, com Yamada, diretor do Grêmio Osasco, na apresentação do Oeste.

Sobre o Autor

admin

admin

CONTAGEM PARA 2018