Futsal brasileiro também é caso de polícia

 Extra!
junho 11
22:15 2015

Está rolando inquérito policial por conta de denúncias de corrupção na Confederação Brasileira de Futebol de Salão. Isso mesmo. Recentemente emergiu a Confederação Brasileira de Vôlei com desvio de recursos, depois explodiu o caso Fifa e com reflexo direto na Confederação Brasileira de Futebol; e nesse ínterim o futsal vem sendo investigado.

O cerco está apertando e hoje a cartolagem da Confederação Brasileira decidiu afastar Louise Bedé, então vice-presidente de Competições. Lembrando que a CBFS tem como presidente Marcos Madeira, eleição que não agradou os jogadores dos principais times.

Bedé é aliadíssima do presidente, mas vinha sofrendo tremendo ataque das federações e, diante disso, Madeira não teve como fazer nada para salvar a cabeça da vice-presidente. Segundo nota da confederação, o afastamento foi em caráter de urgência e para proteger a imagem da CBFS.

Em março passado, o craque Falcão liderou boicote da seleção por conta das denúncias de corrupção. Esse movimento não parou e os jogadores da seleção seguem dizendo não à confederação. A medida de afastamento da vice-presidente de competições é uma tentativa de reaproximação com os revoltados, mas ainda é cedo para apostar num retorno conciliatório.

Nesta sexta-feira tem reunião na confederação, o presidente Madeira recebe o técnico PC de Oliveira. Nomeado treinador nacional, ele sequer esboçou reação alegando não haver clima diante das denúncias, e que a CBFS precisaria, antes de tudo, sanar a questão. Dessa conversa de Madeira com o técnico pode surgir um novo pacto de compromissos entre a entidade e a seleção brasileira. PC de Oliveira tem o respeito dos atletas e, nesse momento, surge como peça importante para negociar a situação.

As principais denúncias no futsal andam em paralelo com todas as das outras entidades esportivas – desvio de recursos. Marcos Madeira foi eleito em abril, assumindo dívida de cerca de R$4 milhões. As contas de 2013 não foram aprovadas e a confederação acabou perdendo o patrocínio dos Correios – bem semelhante ao que rolou entre a confederação de vôlei e o Banco do Brasil. (Márcio Silvio)

Ala Falcão, supercraque do futsal, lidera o boicote contra a CBFS.

Ala Falcão, supercraque do futsal, lidera o boicote contra a CBFS.

Marcos Madeira, ao centro, eleito em abril; com ele, a então vice-presidente de Competições Louise Bedé.

Marcos Madeira, ao centro, eleito em abril; com ele, a então vice-presidente de Competições Louise Bedé.

Sobre o Autor

admin

admin

CONTAGEM PARA 2018