Cartão verde pegaria no futebol brasileiro?

setembro 05
17:38 2015

Jogador bonzinho, sempre de cabeça fria, profissional equilibrado e nunca dado a barraquismo passa a ser recompensado no futebol italiano. Uma inovação lançada na 2ª divisão de lá e que surge como laboratório. Se pegar, a medida então deverá subir para a elite italiana e com o perigo de se espalhar por  todo futebol europeu. A 2ª divisão italiana conta 20 equipes e a temporada começa dia 11 com Pescara x Perugia.

Será que no Brasil essa moda vingaria? Pois bem, lá na segundona italiana o jogador bonzinho será recompensando com o cartão verde. Assim que o árbitro notar que o atleta fez aquele fair play, corre em direção dele e exibe o cartão vede. Ao final da temporada, o jogador mais verdinho receberá uma importante premiação da federação italiana.

Segundo Andrea Abodi (foto), que é presidente da 2ª divisão, a medida é para recompensar os jogadores que se destacarem em boas ações dentro das quatro linhas. Ele citou dois exemplos: chutar a bola para fora quando um atleta estiver caído, e admitir que não sofreu a falta marcada (coisa raríssima).

Lembrando que está correndo proposta para o cartão branco, bancada por Michel Platini. Esse cartão teria o mesmo peso da exclusão feita no futsal – o atleta é expulso por alguns minutos apenas. No futsal a exclusão é medida eficiente e não é de agora que muitos do futebol de campo falam dessa adaptação.

Há alguns que defendem outra vertente punitiva: jogador maldoso que provoca lesão grave e que força a saída do colega de campo, deveria também ser excluído durante o tempo de recuperação do que saiu; e esse jogador não voltar mais, então o agressor estaria sumariamente expulso. (Márcio Silvio)

 

 

Sobre o Autor

admin

admin