8 ANOS: parabéns, Grêmio Osasco!

 Extra!
dezembro 17
22:12 2015

Uma reunião na prefeitura de Osasco fazia surgir o Grêmio Esportivo Osasco, oito anos atrás. O clube chegava para dar sequência ao sonho da cidade no futebol profissional, e entrou em campo com força surpreendente – na temporada 2008 o GEO se apresentou pela primeira vez na 2ª divisão, vitória por 1 a 0 contra o Jabaquara em 20 de abril no estádio Ulrico Mursa.

O primeiro gol do novato Grêmio Osasco saiu aos 40 minutos da etapa final, toque de cabeça do atacante Hugo Vieira e que tem essa marca histórica perpetuada no time osasquense. Vários jogos depois naquela temporada e eis o debutante em festa pelo acesso à 1ª divisão do futebol paulista ao ficar entre os quatro primeiros da segundona.

No ano seguinte o Grêmio Osasco volta a surpreender ao fazer 3 a 0 no XV de Piracicaba, partida com cerca de 10 mil torcedores no estádio do Rochdale, resultado que levava o GEO à final da A3 contra o Votoraty. No primeiro jogo da decisão deu Osasco 1 a 0 no Rochdalão, e na casa do adversário o GEO perdeu de 2 a 0 – Votoraty campeão. No entanto, um vice-campeonato muito bem festejado em Osasco, com os garotos desfilando pela cidade e recebendo aquele auê da torcida e das autoridades.

Com essa campanha vitoriosa, claro que o Grêmio Osasco carimbava o terceiro acesso. Em 2010 estava na série A2, mas essa temporada não foi dentro do esperado. Foi um ano atípico para o então presidente Lindenberg Pessoa, que passou a sofrer perdas dentro e fora das quatro linhas.

O GEO ficou sem patrocínio, o vice-presidente do clube deu área, ou seja, mandou-se de volta para Barueri (de onde havia saído) e, assim, Lindenberg teve que amargar a derrota sozinho e ver o time ser rebaixado para a A3. Por outro lado, avizinhava-se período de mudança brusca no futebol, já que o presidente estava se alinhando com um homem que daria mesmo aquela virada de mesa, senhor Mário Teixeira, executivo do Bradesco.

A entrada dele no futebol de Osasco marca o ponto de mudança radical em termos de gerência, administração, infraestrutura e logística. Aos poucos, eis o Grêmio Osasco com estilo de clube grande, o estádio do Rochdale de cara novíssima e o futebol osasquense com muita grana na parada.

O resultado seria imediato na temporada seguinte, 2012, com o GEO novamente vice-campeão paulista da A3 e para retornar à série A2. Foi um ano de intensa movimentação nas categorias de base, inclusive com a equipe sub 20 fazendo uma forte Copa São Paulo e, de quebra, indo para uma excursão à Europa.

Estava tudo sendo direcionado para um investimento ainda maior, projeto visando a elite do Paulista. Mas então acontece a compra do Audax de São Paulo e do Rio de Janeiro, investimento do senhor Mário Teixeira e que acabou jogando todas as atenções na nova equipe, já que o Audax estava com a série A1 nas chuteiras.

Por questão óbvia que aquele projeto inicial com o GEO foi empacotado e lançado no arquivo morto. A partir de então, tudo seria Audax na série A1, como de fato aconteceu. Enquanto isso, o Grêmio Osasco não teve sustentação na série A2 e novamente despencou para a A3 – e numa campanha sofrível.

Oito anos atrás o GEO era fundado por Lindenberg Pessoa e outros cinco dirigentes e todos ficaram no comando do time por 6 anos. Com a chegada de Mário Teixeira as mexidas começaram a ter lugar e logo o presidente Lindenberg deixaria o cargo.

Agora o GEO está trabalhando forte para o ano que vem, pois em 31 de janeiro estreia na série A3 contra o Noroeste, em Bauru. Retoma o mesmo expediente de anos anteriores e na mesma situação como projeto secundário, já que todos os cuidados ficam para o Audax na elite do Paulistão. (Márcio Silvio)

Contra o Jabaquara, jogo de estreia na 2ª divisão de 2008.

Contra o Jabaquara, jogo de estreia na 2ª divisão de 2008.

17. Grêmio Osasco 1

Duas vezes vice-campeão da série A3.

Duas vezes vice-campeão da série A3.