Reintegração na Mandela é realizada sem manifestações graves; Rodoanel já está liberado

junho 09
12:46 2015

A Polícia Militar acompanha nesta terça-feira (9) a reintegração de posse de um terreno invadido, por uma comunidade denominada Nelson Mandela. O local fica no limite dos municípios de Osasco e Barueri, na região Oeste da Grande São Paulo. Por conta da reintegração, o trecho oeste do Rodoanel Mário Covas foi interditado por volta das 5h30 entre o km 16 e o km 6, que fica entre as rodovias Castello Branco e Anhanguera.

De acordo com a CCR Rodoanel, concessionária que administra a via, às 8h40, o tráfego de ambos os sentidos das pistas do Rodoanel foi liberado aos motoristas. A pista externa da rodovia, sentido Régis Bittencourt, já havia sido liberada às 8h. Os motoristas encontram lentidão de 3 km na pista sentido Bandeirantes.

A reintegração foi solicitada por Dias Martins S/A Mercantil e Industrial, proprietário da área, e determinada pela juíza Ângela Moreno Pacheco de Rezende Lopes, da 2ª Vara Cível do Foro de Osasco. Segundo a Secretaria da Segurança Pública, o terreno de 200 mil m2, conhecido como Comunidade Nelson Mandela, no Portal do Oeste II, foi ocupado em fevereiro de 2014 e reunia aproximadamente 12 mil pessoas. Ao todo, segundo a PM, há cerca de 3.000 moradias, entre barracos e casas de alvenaria.

Por volta das 6h, os policiais esperavam a chegada dos oficiais de Justiça para dar início à reintegração do terreno localizado às margens do Rodoanel. Inconformados com a reintegração, alguns moradores da área invadida chegaram a atear fogo em barracos para impedir a ação da PM, enquanto outros separam móveis e colchões para fazer a mudança. Equipes do Corpo de Bombeiros já estão no local. A Prefeitura de Osasco informou que a área “não é adequada ao uso habitacional e apresenta restrições ambientais com riscos severos à saúde e à segurança pela proximidade com o aterro sanitário e também riscos de deslizamento de solo”.(Folha)

 

Sobre o Autor

admin

admin

CONTAGEM PARA 2018