Osasco entre as melhores cidades em dois anuários

setembro 18
19:16 2015

O anuário As Melhores Cidades do Brasil 2015 considera 5.565 municípios e usou mais de 500 indicadores para finalizar o ranking. No evento de ontem e que contou com um batalhão de prefeitos, entre eles o de Osasco, Curitiba foi eleita a melhor entre todas, seguida por Itajaí/SC, Congonhas/MG, Macaé/RJ, Campo Grande/MS, Balneário Camboriú/SC e Florianópolis.

Jorge Lapas é o prefeito de Osasco e comemorou o quarto lugar da cidade em todo Brasil no quesito Padrão de Vida. Foi considerado o avanço municipal a partir de 2000, especialmente no setor econômico, e com atenção aos parques industrial e comercial.

O crescimento da população universitária também contou pontos, e o prefeito destaca que atualmente são mais de 30 mil estudantes cursando nível superior. O ranking foi batido pela Austin Rating no evento da IstoÉ. Outras duas cidades da região também estão na lista: Cotia ganha destaque no Atendimento Jovem e Barueri na Capacidade de Arrecadação.

Em outra apuração, da Carta Capital, Osasco é considerada Cidade Diplomática por várias iniciativas conforme informa a Secretaria de Comunicação. O QG Notícias publica a matéria assinada pelo jornalista Ricardo Datrino, da Secom – veja a seguir. (Márcio Silvio)

Osasco é considerada modelo de cidade diplomática pela revista Carta Capital
Ricardo Datrino
Agência Secom de Notícias
A cidade de Osasco tem desenvolvido políticas públicas sérias e consistentes em diversas áreas. Entretanto, na área de Relações Internacionais o município tem ganhado ainda mais destaque ao acompanhar o desenvolvimento de grandes cidades no mundo que sabem trabalhar com qualidade o aspecto da diplomacia, segundo matéria publicada nesta quinta-feira (17/09) no site da revista Carta Capital.
O conteúdo publicado pelo blogueiro Fernando Santomauro discorre sobre o fato das organizações internacionais tradicionais precisarem promover uma abertura às cidades devido à urbanização acelerada das últimas décadas “discutindo os desafios futuros com os prefeitos do mundo e construindo metas a serem atingidas também pelos municípios”, explica o articulista.
A publicação menciona que há o surgimento de uma nova demanda diplomática em que as cidades “discutem e formulam políticas de saneamento, do lixo, de transporte, de participação popular, e desenvolvimento econômico local, se diferenciando dos grandes e distantes temas da política das nações, que por muitas vezes se perde em discussões inócuas e tratados não cumpridos, coquetéis e embaixadas grandiosas”, revela Fernando.
Osasco é citada por integrar a “Rede Mercocidades”. O município, que é representado na área de relações exteriores pelo coordenador de Relações Internacionais, Luciano Jurcovichi, participou três vezes vez consecutivas da Cúpula de Mercocidades como membro efetivo. A cidade está integrada na participação da Assembleia Geral da Rede, instância máxima de deliberações da principal associação sul-americana de municípios. Osasco participou das edições da Rede Mercocidades realizadas na cidade de Quilmes, Argentina (2012), e Porto Alegre, no Rio Grande do Sul (2013). Em 2014, a cidade osasquense conquistou importantes espaços de participação na entidade e exerceu, ao longo do ano passado, as funções de membro do Conselho e Subcoordenadora das Unidades Temáticas de Desenvolvimento Econômico Local e Desenvolvimento Urbano. 
Ainda em 2014, Osasco integrou o curso de “Gestão em Cooperação Internacional Sul-Sul”, oferecido pelo Observatório de Cooperação Descentralizada da União Européia para a América Latina (OCD UE-AL).
Como fruto de ações da Rede Mercocidades, Osasco já recebeu, em novembro de 2014, a visita de uma delegação da cidade de Esteban Echeverría, região Metropolitana de Buenos Aires, Argentina, em uma parceria pela participação de técnicos da Prefeitura de Osasco no Congresso de Mercocidades, ocorrido no mesmo ano em Zárate, também na Argentina. O encontro teve como propósito discutir ações de enfrentamento para grandes cidades latino-americanas que integram o Mercosul. 
O intercâmbio, por exemplo, entre Osasco e Esteban Echeverría surgiu no âmbito da Rede Mercocidades, por meio de tratativas bilaterais. Ambos os municípios receberam o Certificado de “Cidades Resilientes”, conferido pela ONU/UNISDR – Escritório das Nações Unidas para a Redução de Riscos de Desastres – América Latina (sediado no Panamá). O termo “Cidade Resiliente” foi designado para as cidades que se preparam adequadamente para prevenir e superar danos provocados por desastres naturais ou eventos danosos em geral. 
 
Em conjunto, as cidades apresentaram candidatura para o UNISDR buscando financiamento para uma ação de intercâmbio, a qual foi aprovada. Essa foi a primeira vez que Osasco acessou financiamento da ONU para esse tipo de atividade conjunta com outro município estrangeiro.

Sobre o Autor

admin

admin