MÁFIA DA MERENDA: Presidente da Assembléia Fernando Capez (PSDB) é citado como beneficiário

Janeiro 22
21:41 2016

O presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), Fernando Capez (PSDB), e o ex-chefe de gabinete da Casa Civil do governo paulista, Luiz Roberto dos Santos, foram citados como beneficiários de esquema de fraude em licitações de merenda escolar de 22 cidades paulistas. Pelo menos três investigados da Operação “Alba Branca” disseram à Polícia Civil de Bebedouro (SP) que Capez e Santos receberam propina por contratos que prefeituras e a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo firmaram com a Cooperativa Orgânica Agrícola Familiar (Coaf).

O suposto envolvimento foi noticiado pelo jornal “O Estado de S. Paulo” desta sexta-feira (22). Capez nega irregularidades (veja nota mais abaixo). Luiz Roberto dos Santos não foi localizado para comentar as denúncias. A Secretaria da Casa Civil diz que o ex-chefe de gabinete já foi exonerado e “é investigado pela Corregedoria Geral da Administração (CGA) a pedido do próprio secretário da Casa Civil, Edson Aparecido”.

Seis suspeitos de participar do esquema foram presos na terça-feira (19), em Bebedouro: o presidente da Coaf, Carlos Alberto Santana da Silva, o ex-presidente Cássio Chebabi, o diretor Carlos Luciano Lopes e os funcionários Adriano Gilberto Mauro, Caio Pereira Chaves e César Bertolino. Após prestar depoimento, todos os suspeitos foram soltos.

Capez nega relação
Em nota, Capez negou ter qualquer relação com o esquema e disse que “tomará providências judiciais e administrativas. Independentemente de eventuais motivações que possam ter ligado seu nome e sua imagem a fatos tão sórdidos como fraude em merenda escolar, o presidente da Alesp contribuirá para apurar as denúncias e punir os verdadeiros responsáveis”.

“A menção irresponsável a seu nome deve servir de base para uma apuração criteriosa antes de se dar ao fato essa ampla publicidade. Os 30 anos de imagem pública nos campos jurídico, acadêmico e político, bem como a presente gestão na presidência da Alesp, não serão abalados, e tudo será esclarecido em breve”, diz a nota.

Segundo o delegado seccional de Bebedouro, José Eduardo Vasconcelos, os suspeitos colaboraram com as investigações.

“Por enquanto, vão responder em liberdade. Mas vamos começar agora a checar se as confissões que eles apresentaram têm compatibilidade e concordância dos demais autos”, disse Vasconcelos. “Se tiverem omitido fatos ou faltaram com a verdade, podem voltar para a cadeia”, afirmou o delegado. (G1)

Sobre o Autor

admin

admin

CONTAGEM PARA 2018