Hoje tem Bilo Mariano no Canto de Julho

julho 28
16:25 2015

Ele é um dos símbolos da música osasquense, voz marcante que vem na estrada desde que o Canto de Julho nascia na história Vila dos Artistas, início dos anos 80. Caso a Vila não fosse extinta, Osasco seria hoje um marco cultural no País. Esse projeto começou em 1976, e na época o prefeito era Francisco Rossi. Uma escola fora de uso no Jardim Cipava, zona Sul da cidade, foi cedida para a atividade artística.

Mais que um ponto cultural, a Vila seria um alojamento mesmo, local de moradia dos músicos e artistas de outros gêneros. Risomar Fasanaro, uma das pioneiras da Vila, conta em blog que Leopoldo Lima, artista plástico de Ribeirão Preto, foi o primeiro morador.

Nos anos 70 tudo era mesmo difícil, e o espaço cedido pela prefeitura precisava de muitas melhorias e, então, os artistas cuidaram disso – mas o principal desafio era a falta de água e de energia elétrica. Com músicos, artistas plásticos e artesãos, a Vila ganhava mais sentido aos domingos, quando todos iam para a praça Duque de Caxias, na Capital, onde expunham as obras e mandavam ver nas cantorias.

Ah, como o pessoal da Vila se virou com a luz? Foi puxado um famoso ‘gato’ do poste mais próximo, já que não havia recurso algum por parte da prefeitura. A Vila era independente e se mantinha por conta própria. Mais tarde chegou cinema na ali, e ao mesmo tempo começaram a fluir discussões políticas. Assim, a Vila passava a reunir os ‘cabeças’ de Osasco – lembrando que no período reinava a ditadura militar.

Bem, nesse cenário de concentração cultural intensa, de liberdade de expressão ainda sob um regime autoritário é que nasceu o Canto de Julho. Por fim, chega a década de 90 e Francisco Rossi cumpria outro mandato de prefeito, e naquele ano ele decidiu pôr fim à Vila dos Artistas. Tudo foi derrubado e nem mesmo árvores foram poupadas do linchamento cultural. Para justificar essa medida extrema, a prefeitura garantia construir uma nova vila…

O Canto de Julho que segue até o dia 2 no Largo de Osasco, mais que uma atração diária para o cidadão, também é uma chamada histórica. A memória segue viva e muitos artistas daquela Vila continuam na estrada – como Bilo Mariano, que logo mais vai ao palco para mostrar sua arte musical. E na sequência, fechando a rodada desta terça-feira, o Canto apresenta Frâ Finamore. E quem abriu o show de hoje foi Novos Planos Inclinados. Frã assume o palco às 18h. (Márcio Silvio)

28. Bilo Mariano 1

Sobre o Autor

admin

admin

CONTAGEM PARA 2018