FACEBOOK: quem gerencia site de notícia tem que pagar para ser visto

 Extra!
FACEBOOK: quem gerencia site de notícia tem que pagar para ser visto
outubro 20
15:36 2017

As redes sociais são ferramentas indispensáveis para toda empresa, mas nenhum setor vem dando tanto trabalho para o Facebook quanto as páginas de notícia. E tudo começou bem lá atrás e onde esse campo fértil era ilimitado e incensurável.

Muitas páginas falsas foram criadas, muitas imagens produzidas ganhavam milhares de compartilhamentos e, nesse bojo, notícias falsas igualmente ganhavam popularidade.

Foi quando o Facebook passou a tomar as rédeas para controlar esse universo em expansão. Houve um fechar de portas através de mecanismos criteriosos e hoje a rede social está filtrada e com conteúdos mais seguros.

Faz parte do processo e é mesmo necessário, só que por outro lado todo esse muro levantado para proteger o ambiente saudável transformou o Facebook num tipo de residencial nobre, onde só que pode pagar se estabelece.

Isso tem a ver com os sites de notícia. Não propriamente para o site, mas diretamente para quem responde por ele. A empresa pode ter várias publicações com alcances importantes e compartilhadas, mas para o gerente direto da página isso não acontece. Quem tem o perfil pessoal do Facebook ligado à gerência de página está vivendo um processo de corda o pescoço porque a rede social literalmente bloqueia o campo de ação de um gerente.

O QG Notícias vive esse momento mas reconhece que o Facebook tem razão e deve mesmo forçar a barra. A única coisa que parece não bater é que não há nenhum critério para pesar agências pequenas das grandes; ou seja, o mecanismo da rede social é único e para todas as mídias.

Caso o gerente do QG Notícias queira que tal publicação tenha alcance livre, tem tabela do Facebook para promoção de 3 reais por matéria; também há opção de compra de anúncios que parte dos R$40,00, indo para R$160,00 e daí para frente, dependendo do caixa de cada mídia.

A maior parte das empresas de notícias nem se incomoda com isso e adota um ou outro pacote porque tem dinheiro para tal; mídias de pequeno porte já não podem dispor de um investimento como esse e que pode chegar a mais de R$1.600,00 por mês.

A linha dura do Facebook, repetindo, atinge principalmente quem tem o perfil pessoal da rede ligado com a gerência de site de notícia. Uma matéria que normalmente atingiria mais de mil visualizações, por exemplo, com esse cerco comercial da rede, quando muito passa das 100.

Veicular anúncios no Facebook, comprar divulgação de matérias e alcançar milhares de pessoas é mesmo uma alternativa sadia do livre mercado. As empresas de notícias que podem investir na rede social estão fazendo isso e tendo um retorno mais que satisfatório.

 

 

VEJA UMA PROPAGANDA DA REDE OFERTANDO MULTIPLICAR A VISIBILIDADE
– valor cobrado é por matéria

 

Outra oferta: valor mínimo diário. 

 

 

Compartilhar

Sobre o Autor

Marcio Silvio

Marcio Silvio

CONTAGEM PARA 2018