BRASIL TENSO: comandantes destacam que Forças Armadas seguem a Constituição

 Extra!
BRASIL TENSO: comandantes destacam que Forças Armadas seguem a Constituição
Maio 28
13:27 2017

Uma boa parcela da sociedade apela para que as Forças Armadas tomem posse do Planalto. Ou seja, há movimentos que defendem a intervenção militar por conta da crise política que envolve o Brasil há anos. Não se trata de uma crise política apenas, mas de uma teia de escândalos que parece infindável. Perdendo a esperança nos políticos civis, então há brasileiros pedindo que os generais voltem a ocupar Brasília.

Esse movimento ganhou força na semana com as redes sociais divulgando que há ministros favoráveis aos militares no poder; e chegou a ferver quando o presidente Michel Temer convocou as Forças Armadas para cercar o Planalto na quarta-feira, após milhares de manifestantes protestarem contra ele.

Esse é o resumo do quadro político e que ainda não está acabado. E como o generalato das Forças Armadas foi convocado para reunião com o presidente, mais uma onda de notícias sobre intervenção bombou nas redes sociais. No entanto, o que há de fato nisso tudo é que os militares estão absolutamente imparciais nessa crise política.

Os comandantes das armas nacionais garantem que Exército, Marinha e Aeronáutica seguem a Constituição. O encontro com o governo aconteceu na sexta-feira e durou cerca de 1h30, sendo que o objetivo de Michel Temer era selar um pacto de estabilidade entre os comandantes das Forças Armadas para que os militares comungassem de um pensamento comum diante dessa turbulência social.

O resultado está aí, com as Forças Armadas mostrando unidade em nome da Constituição. Isso é mesmo louvável e justo. Mas como sempre há uma brecha em tudo, sabe-se que toda constitucionalidade é passível de emendas emergenciais.

O que aconteceu na quarta-feira quando o presidente decretou o uso das Forças Armadas em Brasília é uma prova disso. Ou seja, entrando um decreto pedindo ação, então as três armas do País se apresentam porque trata-se de um chamado constitucional.

Compartilhar

Sobre o Autor

Marcio Silvio

Marcio Silvio