BRASIL: indústria do jogo pode chegar e como aposta alta do governo

 Extra!
BRASIL: indústria do jogo pode chegar e como aposta alta do governo
Janeiro 23
09:37 2017

A defesa de que o jogo pode viciar está caducando tanto na Câmara como no Senado, palanques onde se discute o marco regulatório do segmento no Brasil, já que a grande maioria dos parlamentares é favorável. Aliás, quem está eufórico e apressadinho pela regulamentação é o próprio presidente Michel Temer, pois ele sabe que essa abertura significa uma receita descomunal para os cofres do governo.

E do que se trata mesmo? Nos grandes eventos esportivos, do NBA ao boxe e mais ainda com o MMA, um dos principais palcos é o MGM e também o Ceasars em Las Vegas. Essas são as duas potências da jogatina no mundo todo e estiveram em São Paulo cuidando do terreno brasileiro para investir pesado aqui.

Estamos falando que os cassinos estão chegando. Trata-se de um empreendimento gigantesco e que irá explorar a nata da sociedade rica do Brasil, bem como fomentar o turismo do jogo. As redes estarão ligadas ao segmento hoteleiro de grande porte, sendo que os valores astronômicos começam já com a licença de exploração cotadas de R$100 a R$300 mil. Para uma ideia de que tipo de hotel encaixa-se para as redes de cassino, tem que ter mil quartos no mínimo.

Portanto, o governo brasileiro está babando para receber a indústria internacional do jogo, e os magnatas dos cassinos olham para cá com binóculos cifrados. Ou seja, um quer explorar e o outro quer ser explorado; portanto, tudo certo porque o rio de dólares também é certo.

O Caesars Entertainment Corporation, para mais um exemplo sobre o poder de lucro do jogo, tem faturamento anual de US$9 bilhões. Agora, para pousar definitivamente por aqui os magnatas esperam que as leis brasileiras se estabilizem. O governo já fez lambança com proibição do bingo em 1946, voltando à legalidade em 1993 e para ser novamente proibido em 2004. Os investidores da indústria do jogo não podem negociar com essa insegurança.

As redes do jogo com as construções de grandes hotéis estarão gerando de 2 a 4 mil empregos. E de acordo com a assessoria do Caesars, em funcionamento um cassino tem até 3 mil funcionários, com outros 5 mil em contratos indiretos num movimento financeiro que pode chegar a U$200 milhões por ano.

Em agosto do ano passado a Comissão Especial do Marco Regulatório dos Jogos aprovou a legalização de cassinos, jogo do bicho e bingos no País, mais aquelas máquinas de vídeobingo, caça-níqueis, apostas e jogos online. Portanto, tudo liberado pela Câmara; em novembro foi a vez da aprovação do Senado. O passo seguinte é transformar isso em lei. No mais, os dados quanto ao jogo ilegal até então apontam para mais de R$18 bilhões movimentados no ano passado nesses entretenimentos, superando as apostas legais das loterias.

Mas ainda há setores de forte representação legal no País e que vai na contramão da aprovação dos parlamentares, o que significa que até ter o carimbo final de liberação do governo essa matéria ainda deve passar por outras tantas discussões técnicas, sociais e jurídicas. Mas o caminho para a indústria do jogo já está sendo muito bem trabalhado, tanto que em novembro a cúpula da jogatina do mundo todo esteve reunida em São Paulo para mapear o planejamento de investimento aqui.

Compartilhar

Sobre o Autor

Marcio Silvio

Marcio Silvio