BAURU: cerca de 200 presos fogem após incendiarem penitenciária

 Extra!
BAURU: cerca de 200 presos fogem após incendiarem penitenciária
Janeiro 24
13:53 2017

Até os últimos 30 minutos a informação da Polícia Militar é que 79 presos foram recapturados após fuga de cerca de 200 do Centro de Progressão Penitenciária de Bauru. A rebelião na manhã desta terça-feira foi violenta e com os presos incendiando uma ala do presídio.

Além de todo reforço policial que segue na captura dos foragidos, o Corpo de Bombeiros também entrou em ação para conter as chamas.

A Secretaria de Administração Penitenciária informa que o local já está sob controle e que as atenções concentram-se nas buscas. O presídio tem capacidade para 1.124 detentos e conta com 1.427, segundo a SAP. Os presos causaram estragos em três pavilhões. Veja abaixo a nota da secretaria.

A Secretaria da Administração Penitenciária informa que hoje, 24, pela manhã, durante revista de rotina, reeducandos do Centro de Progressão Penitenciária (CPP) III  “Prof. Noé Azevedo” de Bauru causaram tumulto no alojamento da unidade. O incidente iniciou-se após um Agente de Segurança Penitenciária ter cumprido o seu dever profissional, ou seja, surpreendeu um preso se comunicando através de celular.

A situação já está controlada e o  Grupo de Intervenção Rápida, formado por agentes de segurança penitenciária, está junto com a PM realizando a contagem dos presos, pois alguns deles aproveitaram-se da confusão para evadir-se do presídio. Não houve reféns. Parte dos evadidos já foi recapturada e será levada ao Centro de Detenção Provisória de Bauru.

Ressalvamos que as unidades de regime semiaberto, conforme determina a legislação brasileira, não dispõem de muralhas nem segurança armada, sendo cercada por alambrados. A permanência do preso nesse regime se dá mais pelo sendo de autordisciplina do preso do que a mecanismos de contenção. O CPP III é o antigo Instituto Penal Agrícola de Bauru e está localizado numa área, do tipo fazenda, de 240 alqueires. Na última saída tempor ária, que ocorreu no final de 2016 e início de 2017, 1122 presos foram beneficiados e 1074 retornaram. Hoje, 208 presos trabalham fora da unidade, exercendo atividades externas, outros 65 em empresas dentro da unidade e  358 trabalham em atividades de manutenção do próprio presídio.

Compartilhar

Sobre o Autor

Marcio Silvio

Marcio Silvio